2015/09/30



baby:
saber, às vezes, pode ser péssimo.

2015/09/27


baby:
a verdade, minha, nua, inteira, nossa, é que não estás aqui — como sempre.

2015/09/24


baby:
você sempre faltou à minha vida — e apagou as promessas que fez.

2015/09/20


baby:
jamais previ profanar o sagrado programa em família. impedir a submissão do elemento fantoche à rotina nefasta. à escolha cadáver. à prisão sem fim.

2015/09/17


baby:
programas diurnos não purificam a alma. nem a culpa.

2015/09/13



baby:
interrompi a cadeia. quero ser a única na fila — e no coração.

2015/09/08



baby:
a cidade está cinza — chorosa. sem a salinidade original.

2015/09/05




baby:
nem precisava ser um castelo. bastava [me] querer.

2015/09/01


baby:
olhar nenhum é capaz de reconstruir um amor preterido.