2012/02/21

dear:
apesar da condição ilusória que se oferece, ainda prefiro a suavidade de nada dizer. a exposição sempre me pareceu arriscada. e, por ora, preciso me proteger. me preservar das coisas do mundo. das feridas que a vida não ousa curar. e de tudo que não quero pra mim — nem pra ele.

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home