2009/01/23

baby:
hoje meu choro nem é de saudade. hoje a tristeza não chega a ser triste. a confusão se armou — e é por isso que escrevo. pra dizer da vontade do esteio teu. do enlaçar das ternuras. do romantismo confinado. não sei lidar com a tontura das sensações. minha reação parece se resumir à fragilidade do encolhimento — a reclusão que toda solidão prenuncia. minha perícia emotiva [e seriada]. talvez eu jamais possa viver esse gostar apaixonado, inventar segredos contigo, te povoar de mim. o amanhã é mesmo nunca — um porvir cabisbaixo [e bobo].

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

<< Home