2017/02/04



baby:
sim. covardia tem nome. e sobrenome.
au revoir.

2017/01/30

baby:
a crueza do gesto é teatral. se funda no corpo e carrega nos ombros o vazio de que te alimentas a cada investida extraconjugal.

2017/01/26


dear:
sim, é social.
o luto perpassa a modernidade. massifica-se em mim.

2017/01/21


baby:
a chuva que nos inunda é impiedosa. e reincidente.

2017/01/16


baby:
a reinstauração do luto reflete a dor de existir. ontem e hoje. hoje e amanhã. depois de amanhã e ainda à frente.

2017/01/11


baby:
é tempo de doer.
de lubrificar a alma.
e depois morrer.

2017/01/06


baby:
não aceite menos do que dias especiais. sim, aqueles em que nos flagramos um dentro do outro. em ternura.

2017/01/02


baby:
fala baixinho. nem que seja uma vez só.

2016/12/30


baby:
ao amor, a valentia dos heróis da ficção. todos os dias.

2016/12/26



baby:
se não nos elevar, todo embate será em vão.